COVID-19: Crianças são afetadas?

Sim, são afetadas – infelizmente. ⠀ De fato, são poucos os casos de crianças com graves sintomas da doença, tanto que o Royal College de Obstetras e Ginecologistas aconselhou que bebês saudáveis não devem ser separados de mães infectadas e podem ser amamentados. ⠀ A questão é que no início desta semana, Tedros Adhanom Ghebreyesus, […]

Sim, são afetadas – infelizmente.

De fato, são poucos os casos de crianças com graves sintomas da doença, tanto que o Royal College de Obstetras e Ginecologistas aconselhou que bebês saudáveis não devem ser separados de mães infectadas e podem ser amamentados.

A questão é que no início desta semana, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, revelou que existem sim registros de mortes de crianças pelo novo coronavírus, mas sem dar detalhes sobre o perfil das mesmas.

Vamos falar neste post de algumas medidas de prevenção? Possivelmente, você já sabe de quase todas, mas nunca é demais repetir algo tão importante.

  • Não sair de casa, apenas em casos extremamente urgentes.
  • Evitar aglomerações de qualquer tipo, o que inclui, por exemplo, cinema e teatro.
  • Opte, se possível, pelo trabalho home-office.
  • Não cumprimentar com aperto de mãos, beijos ou abraços.
  • Lavar as mãos com água e sabão, inclusive entre os dedos e até o pulso.
  • Use álcool em gel não só para higienizar as mãos, mas também maçanetas, teclado, cadeiras, telefone, etc.
  • Use lenço de papel para cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Depois, jogue-o no lixo.

 

Fabiane Durão

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

Vacinação de sarampo em menores de ano

  A efetividade das vacinas contendo o componente sarampo é influenciada pela idade à vacinação, de tal forma que crianças vacinadas em idade menor do que 12 meses apresenta efetividade de 84% e aos 12 meses 92,5% (1). No entanto doses adicionais da vacina induzem soro conversão em 95% dos previamente soronegativos (2). Em situações […]

Como saber se o terapeuta escolhido é o melhor para seu filho?

Quando a criança apresenta algum atraso no desenvolvimento, após ou mesmo antes do diagnóstico de um possível transtorno, o médico (pediatra, neurologista pediátrico ou psiquiatra infantil) encaminha o paciente para dar início às terapias. E agora? Como escolher o terapeuta? Não adianta escolher a melhor abordagem se o profissional não está capacitado para aplicá-la. Mas […]

Educação de crianças com TDA, TDAH, TOC e autismo: especialista dá dicas…

A psicoterapeuta americana Anne Maxwell trabalha há 25 anos com crianças, famílias e adultos com transtorno de déficit de atenção (TDA), transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e transtorno do espectro autista (TEA). Assistente social clínica licenciada e supervisora de terapias lúdicas, Anne incorporou ao seu trabalho, há dez […]

Fabiane Durão