Leite materno pode ser usado no tratamento para a Covid-19, diz estudo

O leite materno de mulheres uma vez infectadas pela Covid-19 apresenta forte resposta imunológica ao novo coronavírus. Esta é a conclusão de um estudo feito por um grupo de pesquisa do Departamento de Infectologia da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, em Nova York, e do Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia em Merced. O estudo ainda não […]

leite materno de mulheres uma vez infectadas pela Covid-19 apresenta forte resposta imunológica ao novo coronavírus. Esta é a conclusão de um estudo feito por um grupo de pesquisa do Departamento de Infectologia da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, em Nova York, e do Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia em Merced.

O estudo ainda não passou pela revisão da comunidade científica, mas apresentou resultados animadores. Segundo a pesquisa, a presença de anticorpos para a Covid-19 no leite materno pode alçá-lo à função de terapia contra a doença.

OMS‘Há um longo caminho até o fim da pandemia’ de coronavírus

Já se esperava que o leite produzido por mulheres infectadas apresentasse anticorpos para o novo coronavírus. Isso porque o colostro (o leite produzido no início da amamentação) contém imunoglobulinas G, o tipo de anticorpo mais abundante no organismo, responsável pela proteção contra vírus e bactérias e cuja presença no leite materno deriva, em sua maior parte, do sangue da mãe. Porém, como a imunoglobulina G representa apenas cerca de 2% dos anticorpos totais existentes na substância, ainda não se conhecia a exata quantidade de anticorpos para a Covid-19 presente no leite materno.

Para calcular esse número, os pesquisadores compararam 15 amostras de leite doado por mulheres recuperadas da Covid-19 com dez amostras de controle negativo obtidas antes de dezembro de 2019, ou seja, antes do início da pandemia. Todo o material recolhido foi exposto ao Sars-Cov-2, vírus causador da Covid-19. Das amostras doadas pelas mães infectadas, 80% apresentaram reação de Imunoglobulina A (IgA), e todas registraram resposta de anticorpo secretório. Isso sugere que a IgA detectada pertence, predominantemente, à subclasse Imunoglubina A secretória (ou sIgA, na sigla em inglês).

 

Fonte: https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus/leite-materno-pode-ser-usado-no-tratamento-para-covid-19-diz-estudo-1-24423312

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

I Simpósio interdisciplinar – Educação e Saúde

  Vários profissionais da saúde e educação estarão reunidos em prol da INCLUSÃO:   Pediatra, Psicopedagoga, Pedagoga/Mediadora Escolar, Fonoaudióloga, Psicóloga/Neuropsicóloga, Musicoterapeuta, Professor de Ed. Física adaptada e Terapeuta Ocupacional. . Convidamos pais, professores, coordenadores/diretores de escolas, terapeutas, médicos e todos aqueles que de alguma forma estejam envolvidos com a Inclusão. . 𝖬𝖺𝗂𝗈𝗋𝖾𝗌 𝖨𝗇𝖿𝗈𝗋𝗆𝖺𝖼̧𝗈̃𝖾𝗌 𝗉𝖾𝗅𝗈 𝖣𝗂𝗋𝖾𝖼𝗍 no Instagram 𝖼𝗈𝗆 𝖺𝗌 4 𝗈𝗋𝗀𝖺𝗇𝗂𝗓𝖺𝖽𝗈𝗋𝖺𝗌 𝖽𝖺 @𝖾𝗊𝗎𝗂𝗉𝖾_𝖾𝖽𝗎𝖼𝖺𝗋𝖾𝗌𝖺𝗎𝖽𝖾 – 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠 𝑝𝑒𝑙𝑜 𝑆𝑦𝑚𝑝𝑙𝑎 𝖮𝗋𝗀𝖺𝗇𝗂𝗓𝖺𝖼̧𝖺̃𝗈: […]

Exterogestação: a gravidez pode durar mais de 9 meses?

  Formulada pelo antropólogo Ashley Montagu, mas viralizada pelo pediatra Harvey Karp, a teoria da exterogestação diz, basicamente, que a gravidez não dura apenas 9 meses e sim 12 – ainda que último trimestre aconteça fora da barriga da mãe. A ideia é fazer uma transição lenta do bebê para a vida extra-uterina. E como isso acontece na […]

Perguntas e Respostas sobre o Autismo

Nesta terça-feira (2 de abril), é comemorado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Para dar visibilidade às diferentes necessidades dos pacientes que convivem com a condição e ampliar o debate sobre o assunto, o SBP Notícias conversou com a presidente do Departamento Científico de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), dra. Liubiana Arantes de Araújo.