COVID-19: PAIS E FILHOS EM ISOLAMENTO DURANTE A PANDEMIA

Diante da pandemia do COVID-19, a rotina das famílias mudou substancialmente! Os pais trabalhando em casa em home office, as crianças sem ir à escola, os afazeres domésticos, isto tudo tem gerado muito estresse nos pais que não podem pedir ajuda aos avós neste momento de reclusão domiciliar. Esse estresse é tóxico e pode causar transtornos do […]

Diante da pandemia do COVID-19, a rotina das famílias mudou substancialmente! Os pais trabalhando em casa em home office, as crianças sem ir à escola, os afazeres domésticos, isto tudo tem gerado muito estresse nos pais que não podem pedir ajuda aos avós neste momento de reclusão domiciliar. Esse estresse é tóxico e pode causar transtornos do sono, de ansiedade, depressão, queda no rendimento escolar, irritabilidade, baixa de imunidade, medos e à médio e longo prazo proporcionar atrasos no desenvolvimento nas crianças.

01. Os adultos devem realizar momentos de diálogo para discussão das atividades prioritárias do dia a dia, das necessidades básicas da casa, da divisão de tarefas e obrigações. Organizar os horários do trabalho de cada um dos pais, tentando intercalar os períodos para os demais afazeres da casa e das crianças.

02. Discutir em família o papel que cada adulto possui em fornecer o suporte para que o estresse não se torne tóxico para as crianças e adolescentes.

03. Ensinar como higienizar as mãos e que esse cuidado deve ser um hábito diário, mesmo após a pandemia acabar. Além disso, orientar como espirrar com proteção, como utilizar os seus utensílios, como evitar o contato físico e como se cuidar de forma lúdica, com músicas, leituras e brincadeiras.

04. Conversar com os seus filhos sobre a situação atual, com linguagem simples e adequada para cada idade. As orientações devem ser transmitidas de forma tranquila a fim de evitar a elevação do estresse, do medo e da ansiedade no nível de chegar a comprometer a imunidade e saúde mental dos pequenos. Explicar que as
medidas são de prevenção, mas que podemos esperar bons desfechos. Dar abertura para que eles possam expressar seus sentimentos e suas dúvidas em um ambiente acolhedor e de apoio mútuo.

05. Realizar o planejamento de agenda dos filhos juntamente com eles, incentivando-os a organizar horários  equilibrados para manter as atividades de brincadeiras, estudo, leitura, música, atividade física, sono e tempo de tela, respeitando os limites da rotina saudável, além dos intervalos de ócio criativo para que a própria criança faça reflexões e brincadeiras que irão ajudá-la a superar esse momento.

06. Manter a dieta e a ingesta de líquidos adequada para cada idade. Os alimentos possuem papel no crescimento, na prevenção de doenças e na formação da arquitetura cerebral. O aleitamento materno exclusivo até o sexto mês e mantido até os dois anos é de grande relevância. Chamar atenção para o sobrepeso e obesidade.

07. Intercalar períodos de atividades físicas dentro do lar em mais de um horário do dia nos turnos da manhã e da tarde e, se possível, fazer as atividades em conjunto pais e filhos. Estimular a criança e o adolescente a ser criativo para realizar essas atividades em casa que podem ser de circuitos feitos com travesseiros e garrafas plásticas, pular corda, dançar, artes marciais dentre outros.

08. Estimular atividades no quintal, na varanda ou próximo a locais mais arejados da casa ou apartamento.

09. Usar a tecnologia a favor de todos. Definir com as crianças os horários para o uso saudável das telas, segundo as recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria, evitando ultrapassar os limites e o acesso sem supervisão a conteúdos inadequados.

10. Definir horários para jogos online com os amigos e para videconferências com os avós (visualizar os avós em boa saúde pode tranquilizar as crianças). Estimular os avós a terem conversas alegres e momentos de descontração durante os contatos à distância.

11. Inserir as crianças e adolescentes nas tarefas domésticas respeitando a capacidade de acordo com a idade de cada um. Incentivar o ensino colaborativo supervisionado enquanto realizar essas atividades e aproveitar para ensinar  fazeres de forma alegre e prazerosa, pois isso pode trazer grande aprendizado para a criança e adolescente.

12. Converse com as crianças e adolescentes para que eles respeitem os momentos que os adultos precisam trabalhar de forma mais concentrada. Tentar sincronizar o horário dessa necessidade com a agenda de um filme ou alguma atividade em que a criança não necessite de tanta supervisão.

13. Reservar um a dois momentos do dia para que os adultos possam se atualizar em relação às informações, sem expor as crianças a conteúdos inadequados. A maioria das informações repassadas pelas mídias são direcionadas para o público adulto e cabe aos pais limitar o acesso das crianças, repassando o que for necessário com
linguagem adequada.

14. Incluir na agenda pausas durante o dia para que a família possa estar unida de forma alegre e prazerosa. Tente realizar as refeições junto com as crianças abordando temas construtivos. Praticar as técnicas de atenção plena e de relaxamento.

15. Seja você o modelo de comportamento que espera de seus filhos. Portanto, os pais devem evitar excesso de tela, manter o lar harmonioso e demonstrar de forma assertiva e genuína como lidar com equilíbrio com essa situação adversa só traz benefícios na construção de um cérebro saudável na infância.

16. Deixar claro para todos que o momento não é de férias e sim de uma situação emergencial transitória de reorganização do formato em que as atividades cotidianas
devem ser cumpridas.

 

Fonte: Nota de alerta: “Pais e filhos em confinamento durante a pandemia de COVID-19”- Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/pais-e-filhos-em-confinamento-durante-a-pandemia-de-covid-19/

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

Alerta da SBP sobre cuidados após contato com óleo cru

O alerta feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) sobre os cuidados no contato com óleo cru, destinado aos voluntários e profissionais que se mobilizaram para limpar as praias do litoral brasileiro foi destaque de grandes veículos do país. O texto ressalta a importância de o governo garantir a assistência médica a todos os indivíduos […]

Puericultura

O atendimento ambulatorial em puericultura compreende a realização periódica de consultas de pacientes de zero a 19 anos com o pediatra para uma avaliação global de desenvolvimento. A iniciativa prevê orientação aos pais ou responsáveis sobre os diversos aspectos de proteção integral da criança e a realização de intervenções quando necessário.

Como proteger seus filhos do novo coronavírus na escola

Volta às aulas, brincadeiras perigosas e também, Coronavírus? Sim, o Brasil já está no mapa do Coronavírus com dois casos confirmados em São Paulo nos últimos dias. Passado o Carnaval, o ano começa de forma intensa com todos retornando de fato para suas atividades, inclusive, as crianças. A preocupação com o vírus presente no território […]