#MENOS TELAS #MAIS SAÚDE

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) produziu em 2016 o primeiro documento sobre Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital a respeito das demandas das tecnologias da informação e comunicação (TICs), redes sociais e Internet, com recomendações para pediatras, pais e educadores na era digital, que teve impacto positivo em múltiplas palestras, eventos e […]

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) produziu em 2016 o primeiro documento sobre Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital a respeito das demandas das tecnologias da informação e comunicação (TICs), redes sociais e Internet, com recomendações para pediatras, pais e educadores na era digital, que teve impacto positivo em múltiplas palestras, eventos e entrevistas nas mídias. A seguir, o alerta sobre a criança menor de 3 anos e o mundo digital e a prevenção da intoxicação digital com mais recomendações e materiais de apoio no documento sobre os Benefícios da Natureza no Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes em 2019. A aceleração das redes sociais pela Internet com a multiplicação do acesso aos vários aplicativos e jogos online direcionados às crianças e adolescentes, requer cada vez mais o alerta e a atenção de todos que lidam com as tarefas de responsabilidade dos cuidados de saúde durante a infância e a adolescência, principalmente dos pediatras.

Leia o documento completo na íntegra.

 

Fonte: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/menos-telas-mais-saude/

 

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

Coisas para se atentar ao escolher a creche

  Janeiro é verão, mês de férias, mas também tem lista de material escolar e, para muitos pais, a escolha de uma creche. Que nós adultos sofremos mais do que as crianças, isso é fato! Mas, para não sofrermos tanto, temos que escolher uma creche bem legal, afinal é lá que vamos deixar o nosso […]

A importância da pastinha SOS

  Dia desses ouvi que uma vovó precisou levar seu neto ao hospital. Não era bem uma emergência, por isso, chegando lá, por não ter nenhum tipo de documento da criança, o atendimento não pôde ser realizado de forma rápida. Conclusão: do hospital, a senhora precisou ficar tentando ligar para os pais, sendo que os […]