Departamento de Segurança da SBP alerta sobre riscos do bebê conforto de balanço e dos andadores

  O Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) enfatiza a necessidade de prudência na utilização do bebê conforto ou assento de balanço ou outros dispositivos que promovam aceleração e amplificação de movimentos. A recomendação acontece após a Comissão de Segurança de Produtos para o Consumidor dos Estados Unidos confirmar a morte […]

 

O Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) enfatiza a necessidade de prudência na utilização do bebê conforto ou assento de balanço ou outros dispositivos que promovam aceleração e amplificação de movimentos. A recomendação acontece após a Comissão de Segurança de Produtos para o Consumidor dos Estados Unidos confirmar a morte de 32 crianças entre os anos de 2011 e 2018, em decorrência do uso do produto “Rock’n Play Sleeper”, da Fisher-Price.

Em comunicado oficial publicado pela empresa, a marca pede que todos os consumidores deste produto da marca norte-americana entrem em contato para obter reembolso. O recall também ocorreu em função de um apelo da Academia Americana de Pediatria (AAP).

De acordo com o presidente do Departamento Científico de Segurança da SBP, dr. Mário Hirschheimer, o principal risco está relacionado a falta do uso de segurança em todos os casos e à possibilidade da criança ficar de cabeça para baixo, o que pode levar ao bloqueio das vias aéreas e ao sufocamento.

ANDADORES – Em função do anúncio de recall, a SBP reitera também sua posição contrária ao uso de andadores e puladores (jumpers). Conforme aponta o dr. Danilo Blank, secretário do DC, diferentes revistas médicas internacionais têm chamado a atenção para o grande risco desses equipamentos. Anualmente, o andador é a causa de boa parte dos atendimentos nos serviços de emergência em crianças com menos de um ano de idade.

“Algumas sofrem queimaduras, intoxicações e afogamentos por causa desses produtos, mas a grande maioria sofre quedas. Nos casos mais graves, cerca de 80% são de quedas de escadas. Nos Estados Unidos, num período de 25 anos foram registradas 34 mortes causadas por andadores, um número nada desprezível”, enfatiza.

LEGISLAÇÃO – Desde 2013, a comercialização dos andadores está proibida em todo o Brasil devido a uma decisão liminar da Justiça no Rio Grande do Sul. Apesar disso, o utensílio ainda é encontrado na internet e em lojas físicas de todo o País. Para barrar a prática de maneira definitiva, a SBP e outras entidades que atuam em prol da saúde e bem-estar das crianças aguardam a aprovação no Congresso Nacional do Projeto de Lei 4926/13, que visa a proibição da utilização, venda e fabricação dos andadores.

“Além de lutar por uma definição legal, é importante que os pediatras incluam nas consultas de puericultura a contraindicação enfática ao uso de andadores. Além disso, para as famílias que já possuem o produto, a recomendação deve ser a sua destruição imediata”, conclui o dr. Danilo Blank.

 

Referência:  https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/departamento-de-seguranca-da-sbp-alerta-sobre-riscos-do-bebe-conforto-de-balanco-e-dos-andadores/

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

A importância da pastinha SOS

  Dia desses ouvi que uma vovó precisou levar seu neto ao hospital. Não era bem uma emergência, por isso, chegando lá, por não ter nenhum tipo de documento da criança, o atendimento não pôde ser realizado de forma rápida. Conclusão: do hospital, a senhora precisou ficar tentando ligar para os pais, sendo que os […]

Evite os nove maiores erros ao tomar remédios orais

Desde 2009, a Anvisa estabeleceu que todos os remédios devem ser acompanhados da bula do paciente, além da bula técnica já comum nos produtos. Na bula do paciente, deve ser especificada a forma como ele deve ser ingerido e seus riscos específicos de forma clara e objetiva. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre a melhor maneira […]