Guia Completo da Vacinação Infantil. Parte 2: Vacinas ofertadas pela rede particular

Eu prometi voltar com uma parte 2 sobre o Guia de Vacinação Infantil e, apesar de não ser candidata a nada nas próximas eleições, cá estou para cumprir a promessa. 😄 Antes, só pra relembrar: Na parte 1, coloquei as vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Imunização, ou seja, as que são ofertadas […]

Eu prometi voltar com uma parte 2 sobre o Guia de Vacinação Infantil e, apesar de não ser candidata a nada nas próximas eleições, cá estou para cumprir a promessa. 😄

Antes, só pra relembrar:

Na parte 1, coloquei as vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Imunização, ou seja, as que são ofertadas pelo SUS.

Bom…

Nesta parte 2, trago as vacinas que são encontradas apenas em rede privada. Vamos lá:

– Meningocócica B:

Previne meningite causada pela bactéria meningococo do sorogrupo B e deve ser tomada a partir dos 2 meses, mas no Brasil ficou estipulado a partir dos 3 meses. Crianças de 3 a 23 meses devem tomar reforços da vacina entre 12 a 24 meses.

– Pneumocócica 13-valente:

Previne doenças graves pneumocócicas como pneumonia, septicemia e meningite. Deve ser aplicada a partir dos 2 meses de vida e até 5 anos de idade.

– Hexavalente:

Previne doenças como difteria, tétano, coqueluche, meningite e hepatite B. É recomendada para crianças a partir de 2 meses e pode ser aplicada até os 7 anos.

OBS: Aplicar 3 doses aos 2, 4 e 6 meses; 1° reforço entre 12-18 meses e 2° reforço entre 4-6 anos de idade.

– Hepatite A:

A vacina contra Hepatite A é ofertada no SUS em dose única, porém para imunização completa são necessárias duas doses. A segunda deve ser tomada em rede privada.

– Varicela:

Protege contra catapora e deve ser tomada em duas doses a partir dos 12 meses. Assim como a vacina contra Hepatite A, o SUS só oferece uma dose. Para a imunização completa, deve ser tomada uma segunda dose em rede privada.

– Dengue:
Podem tomar a vacina crianças a partir de 9 anos de idade, lembrando que são necessárias três doses para completar a imunização.

– Meningocócica ACWY:

É feita junto com a Meningocócica B a partir dos 3 meses, sendo 2 doses e um reforço.

Dra. Fabiane Durão
Pediatra especialista em desenvolvimento infantil, amamentação e homeopatia.

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

Homeopatia e Neurohomeopatia

A lógica dessa ciência é utilizar as mesmas substâncias que causam os sintomas das doenças para tratá-las. Para isso, essas substâncias são bem diluídas em água, até que fique uma quantidade que seja o suficiente para aliviar esses sinais, em vez de intensificá-los.

Queda nas vacinações

  ALERTA: o Brasil não atingiu a meta para nenhuma das principais vacinas infantis. Devido a este triste cenário, é possível que a gente se depare com o retorno de doenças já eliminadas. ): De acordo com uma matéria da Folha de São Paulo, em 2019, nenhuma vacina atingiu a meta entre o grupo de […]

Pediatria no pré-natal: pode isso?

A regra é clara: não só pode como DEVE! ⠀ A inserção do pediatra no pré-natal representa uma grande oportunidade de antecipação de riscos e um dos pilares da tríade para redução da morbimortalidade neonatal, juntamente com a assistência ao recém-nascido em sala de parto e a consulta pós-natal dentro da primeira semana de vida. […]